1. 0
« »

Há 60 anos, Helena Antipoff inaugurava o Instituto Superior de Educação Rural em Ibirité

Foto: Memorial Fundação Helena Antipoff Foto: Memorial Fundação Helena Antipoff

Fatos importantes na vida da educadora Helena Antipoff, pioneira na introdução e desenvolvimento da educação especial no Brasil, possuem uma relação no mínimo intrigante com o mês de agosto. A data da chegada de Helena ao Brasil, bem como a de seu falecimento, ocorreram exatamente nesse mês. Em relação à obra de Dona Helena, agosto é também um mês significativo, devido à inauguração do Instituto Superior de Educação Rural (Iser), em 14 de agosto de 1955. Atualmente, a sede da Fundação Helena Antipoff é onde funcionava o Iser.

A ideia de Helena Antipoff era integrar as práticas do ensino regular à comunidade rural. Por meio do Instituto Superior de Educação Rural eram oferecidos cursos de treinamento para professores rurais, incluindo a prática no cultivo de lavouras, hortas, pomares, na criação de animais e cursos de economia doméstica. Helena Antipoff acreditava que o investimento na melhoria do meio rural seria determinante para florescer novos ideais de cidadania no povo brasileiro e para dar oportunidade ao pequeno produtor rural, uma vez que, naquele tempo, a maior parte da população do País ainda se concentrava fora dos grandes centros urbanos.

Com o Iser em funcionamento, Helena Antipoff desenvolveu um projeto denominado Granjinha Escolar, cujo objetivo principal era realizar uma grande campanha contra a fome. Helena também aproveitou seu projeto para estudá-lo pelo viés psicológico, pedagógico e sociológico. As aulas seguiam um direcionamento interdisciplinar e eram ensinados conceitos de matemática, ciências, geografia, civismo e de demais áreas do conhecimento durante as aulas na horta.

Em 1978, quatro anos depois do falecimento de Helena Antipoff, houve a incorporação da Escola Estadual Sandoval Soares de Azevedo ao espaço onde funcionava o Iser, criando, dessa maneira, a Fundação Helena Antipoff. Nos dias de hoje, depois de um acordo entre o Governo do Estado e a FHA - à época presidida pela Dona Irene de Melo Pinheiro -, Ibirité passou a receber os cursos de Pedagogia, Educação Física, Ciências Biológicas, Matemática e Letras da Universidade Estadual de Minas Gerais -UEMG.