1. 0
« »

União e Estado atrasam repasse de verbas, e comunidades terapêuticas correm o risco de fechar

União e Estado atrasam repasse de verbas, e comunidades terapêuticas correm o risco de fechar Foto: ALMG

Ione Pinheiro esteve presente à reunião e se comprometeu a cobrar explicações do Governo         

            Em reunião da Comissão de Prevenção e Combate ao uso de Crack e Outras Drogas, realizada na terça-feira, dia 17 de março, a deputada estadual Ione Pinheiro (DEM) declarou apoio aos usuários, dirigentes, funcionários e familiares de comunidades terapêuticas que reclamam do atraso nos repasses de verbas estaduais para a sua manutenção. Tanto o Governo Federal como o Estadual, por meio do cartão Aliança pela Vida, estão em débito com as comunidades terapêuticas, prejudicando a recuperação de milhares de pessoas que querem se livrar do vício da droga.

            Várias entidades não recebem o pagamento desde dezembro e outras desde janeiro. Não há uma estimativa do valor total de pagamentos atrasados, mas a cifra já é milionária. A situação é considerada grave, pois muitas entidades já declararam estar próximas de encerrar suas atividades. Caso isso ocorra, os frequentadores serão devolvidos a suas famílias e terão seu processo de recuperação interrompido. A informação é de que a demora na aprovação do Orçamento do Estado teria atrapalhado os repasses, uma vez que o Executivo é responsável por gerenciar todos os pagamentos. 

            A deputada Ione Pinheiro mostrou indignação com a falta de pagamento às comunidades terapêuticas e prometeu cobrar o repasse da verba por parte da União e do Estado. “Diante de tamanha demonstração de amor a pessoas que realmente necessitam, não podemos nos calar. Temos que dar voz a quem precisa e mostrar a nossa indignação”, afirmou a deputada.

            O pastor Wellington Antônio Vieira, presidente da Federação de Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil (Feteb), declarou que as comunidades terapêuticas já passaram por dificuldades, porém, segundo ele, a situação atual está fora do controle. O pastor Wellington lembrou também do ex-presidente da Assembleia, Dinis Pinheiro (PP), reconhecendo seu esforço em prol da causa. “O presidente Dinis nos recebeu como ninguém. Ele abriu as portas do Salão Nobre pra gente. Lutou pela criação de uma comissão que debata exclusivamente o problema da droga”, declarou o pastor.